in

Como começar a investir na bolsa de valores?

Muitos investidores iniciantes têm dúvidas sobre os passos iniciais para investir no mercado de renda variável.

abev3 cotação

Se você é iniciante, seja muito bem-vindo ao meu blog! Meu nome é Rodrigo Colombo, tenho 11 anos de experiência no mercado financeiro e hoje ensinarei sobre como começar a investir na bolsa de valores.

Como todo investidor, tive um grande aprendizado ao longo dos anos, principalmente nos períodos de crise em que o mercado estava em baixa!

Hoje, me sinto muito tranquilo para transmitir a minha experiência para todos os tipos de investidores, principalmente para quem entrou no mercado recentemente.

Para os investidores iniciantes, essa pode ser uma das dúvidas mais frequentes: como começar a investir na bolsa de valores?

Então, escrevi este artigo com o objetivo de ajudar os novos investidores com um caminho inicial para aprender a investir na bolsa de valores.

Então, vamos acompanhar esses 5 passos que podem ser extremamente úteis na jornada dos investidores iniciantes.

5 passos para começar a investir na bolsa de valores

Passo 1: Antes de começar a investir na bolsa de valores, faça um planejamento financeiro!

Pode parecer óbvio, mas o primeiro passo para que você entenda o quanto você gasta e economiza é fazer um planejamento financeiro.

Nesse caso, você precisa organizar uma planilha com seus gastos essenciais, seus gastos não essenciais e o quanto você consegue poupar para começar a investir.

Os gastos essenciais são todos aqueles que são fundamentais para a sua sobrevivência como:

  • Aluguel (se não tiver casa própria);
  • Condomínio;
  • Conta de luz;
  • Conta de água;
  • Compras mensais de supermercado;
  • Plano de saúde;
  • Internet;
  • Combustível e transporte;
  • Gastos para compra de eletrodomésticos que estragaram e são essenciais.

Os gastos não essenciais são todos aqueles que não podem ser considerados recorrentes como:

  • Compras de itens de vestuário;
  • Viagens não essenciais;
  • Saídas para eventos;
  • Gastos emergenciais com manutenção de veículos e eletrodomésticos;

E como equilibrar esses gastos com os valores que os investidores devem poupar para começar a investir?

Muitos especialistas usam uma escala de divisão de gastos que funciona da seguinte forma:

  • 50 % do salário para os gastos essenciais;
  • 30 % do salário para os gastos não essenciais;
  • 20 % do salário para investimentos.

Ao meu ver, essa escala funciona bem, mas eu tenho uma opinião formada a respeito: quanto mais você aporta, mais cedo chegará a sua independência financeira.

Portanto, ter um planejamento financeiro é essencial como primeiro passo para sua independência financeira.

Passo 2: Faça uma reserva de emergência

Em primeiro lugar, uma reserva de emergência é uma quantidade de recursos guardada numa aplicação de alta liquidez para ser usada em situações de urgências.

Normalmente, a reserva de emergência deve ser composta por uma quantidade de dinheiro que pague de 6 a 12 meses do seu custo de vida atual.

Desse modo, nenhum investidor deve começar a investir na bolsa se não tiver uma reserva de emergência!

Isso é um erro grave, pois você pode ficar descapitalizado num momento de necessidade!

Passo 3: Escolha uma corretora de confiança

Antes de começar a aportar, você precisa escolher uma corretora para intermediar as suas operações na bolsa de valores.

A corretora funciona como um agente de custódia do dinheiro que foi investido. Ou seja, ela apenas funciona como um caminho entre o seu investimento e a bolsa de valores.

Existem muitas boas corretoras no mercado, mas é importante investir numa corretora que você confie no funcionamento das plataformas e que as taxas de corretagem estejam de acordo com o que o investidor deseja pagar.

Atualmente, uso as corretoras XP Investimentos para fazer meus investimentos nacionais e a corretora Passfolio para investir no exterior.

Todavia, cabe ao investidor escolher as melhores opções em termos de taxas e confiança no trabalho.

Passo 4: Estude os ativos que você deseja investir

Então, Rodrigo, além desses passos, como devo investir na bolsa?

Um outro passo muito importante é que você estude e conheça os ativos que deseja investir, seja os ativos de renda fixa, seja os ativos de renda variável.

Afinal de contas, nada mais lógico do que você investir seu dinheiro num investimento que você saiba perfeitamente como funciona!

Então, esta parte pode ser a parte mais difícil desse processo.

Para isso, você precisa “arregaçar as mangas” e buscar informações confiáveis a respeito do assunto.

Ou seja, você vai precisar estudar os FIIs e as empresas e entender como funciona cada modelo de negócio.

Caso você não tenha tempo para estudar e ainda assim quer investir, recomendo que você assine uma casa de análise. Contudo, saiba que aí você vai delegar a função a uma outra pessoa.

Passo 5: use o seu racional e saiba o seu limite

Um dos grandes pontos que faz com que haja uma grande diferença entre os investidores é como eles usam a racionalidade no mundo dos investimentos.

Portanto, quando você começar a investir na bolsa de valores, você vai precisar ter o seu racional bem alinhado para lidar com as oscilações do mercado.

Usar o seu lado racional significa que você precisa entender como funcionam os mercados de renda fixa e, principalmente, o mercado de renda variável.

Para que essa racionalidade seja construída, você precisa estudar esses mercados em especial, usando livros de grandes investidores como Warren Buffett.

Após construir essa racionalidade, você deve saber qual é o seu limite em relação aos investimentos? Mas, como assim, Rodrigo?

Então, vamos trabalhar com uma pergunta muito simples:

Você conseguiria perder 30 % do seu capital investido em algumas semanas? Teria paciência para esperar que o seu capital revalorize?

Caso você tenha respondido não, é visível que você não se sente confortável com o mercado de renda variável. Provavelmente, o seu perfil é de um investidor conservador.

Nesse caso, talvez seja mais adequado você começar a investir em renda fixa (tesouro direto, CDB, LCI, LCA e contas remuneradas). Esses ativos não oscilam tanto.

Em contrapartida, se você se sente confortável com essas oscilações de mercado, talvez, iniciando aos poucos, você possa investir em FIIs e ações.

Então, entenderam como começar a investir na bolsa de valores?

A minha opinião pessoal é que os investidores iniciantes devem sempre começando a investir em renda fixa para montar sua reserva de emergência.

Após montar sua reserva de emergência, o investidor deve entender como funciona o mercado de renda fixa e ponderar se sente mais seguro com esse tipo de investimentos.

Caso o investidor tenha um perfil mais arrojado, o investidor deve estudar os ativos como FIIs e ações. Somente a partir daí, deve investir em renda variável.

Ou seja, encerro com uma frase que sempre digo: O SIMPLES FUNCIONA!!!

Abraços,

Rodrigo Colombo.

 

 

 

 

 

What do you think?

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

CBOP11: Castello Branco Office Park

fiis e covid-19

Como a COVID-19 vai afetar os FIIs no longo prazo?