Uncategorized

Como montar sua carteira de investimentos?

Como montar sua carteira de investimentos?
Junte-se a mais de 45.000 pessoas

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Primeiramente, seja muito bem-vindo! Caso você não me conheça, sou Rodrigo Colombo e invisto em fundos imobiliários (FIIs) e ações há mais de 10 anos. Hoje, falarei sobre como montar uma carteira de investimentos.

Tenho o canal do Youtube “Vivendo de Dividendos” e um perfil no Instagram, o @orodrigocolombo, em que falo sobre os ativos de renda variável (FIIs e ações).

Se você ainda não conhece o canal, clique aqui. Se quiser acessar meu perfil no Instagram, basta clicar aqui.

No ano de 2019, o mercado de renda variável cresceu bastante e, consequentemente, muitos investidores iniciantes entraram sem ter qualquer tipo de preparação para entender “como as coisas funcionam”.

Por isso, resolvi criar esse post com objetivo de auxiliar os investidores iniciantes a entender como montar uma carteira de investimentos.

Então, vamos começar a discussão sobre a montagem de carteira de investimentos e quais são os primeiros passos para isso.

Para deixar claro: tudo isso que eu vou dizer eu faço na minha carteira de investimentos. Contudo, saiba que NÃO HÁ UMA REGRA FIXA, pois afinal de contas, cada um tem a sua estratégia!

Se fizer algum sentido para vocês, utilizem, caso contrário, descartem e sigam a sua estratégia, certo?

Enfim, a minha intenção não é fazer qualquer indicação de compra e venda. Então, vamos tocar ficha e falar sobre o assunto!

Quais são os primeiros passos para montar uma carteira de investimentos?

Passo 1: Entenda como o mercado de renda variável funciona!

O primeiro passo para que uma carteira de investimentos seja bem montada é entender como funciona o mercado de renda variável!

Nesse sentido, você precisa saber se o seu lado emocional está preparado para as oscilações do mercado de renda variável.

É sempre importante lembrar que o início do processo de investir envolve muito mais questões emocionais do que questões financeiras.

Caso o seu lado emocional não esteja preparado para as oscilações do mercado de renda variável, não há problema: fique na renda fixa!

Atualmente, existem boas opções de investimentos em renda fixa como CDBs, CDIs, Tesouro Selic, Tesouro IPCA +, LCIs e LCAs. Não há problema em investir nessas opções!

Em resumo, invista no tipo de investimento que fará com que você permaneça tranquilo durante o longo prazo!

Passo 2: Escolha fundos imobiliários e ações mais sólidas e consistentes!

O segundo passo para que uma carteira de investimentos seja vencedora é escolher fundos imobiliários e ações mais sólidas e consistentes.

Analogamente a um time de futebol, é preciso montar a base que deve ser consistente para impedir que o desempenho do time oscile muito.

Mas, Rodrigo, como eu seleciono esses ativos? Através de estudo e entendendo como cada um desses ativos funciona na prática!

Assim, você vai estudar os FIIs e ações antes de comprar, o que evita que você compre um ativo “as cegas” ou simplesmente por impulso.

Portanto, com os estudos e pequenos aportes iniciais, você irá treinar sua mente para ter maior estabilidade e entender como o mercado de renda variável funciona!

Sem dúvida, nesse sentido, a melhor opção é começar escolhendo um único fundo imobiliário ou ação para aportar inicialmente.

Por exemplo, existem vários fundos imobiliários com ótimas gestoras que são oportunidades valiosas para os investidores iniciantes, como o HGLG11.

Aqui no blog, tem um texto que fala um pouco sobre a minha história com o HGLG11. Se quiser ler, basta clicar aqui.

Posteriormente, quando você permanecer confortável para estudar e aportar em outras oportunidades, faça isso! Lembre-se de começar aos poucos!

Passo 3: Não tente buscar a diversificação no início!

Outro passo importante nesse processo é não tentar buscar a diversificação no início!

Ou seja, no início da montagem da sua carteira de investimentos, o ideal é que você aporte no mesmo FII ou ação por algum tempo, de acordo com o que foi explicado anteriormente.

Para isso, escolha um FII ou ação que se enquadre dentro do seu racional enquanto estuda outras oportunidades.

Por exemplo, se você tiver 5 mil reais para investir inicialmente, não faz sentido você fazer 10 aportes de 500 reais em 10 FIIs ou 10 ações diferentes.

E por que não faria sentido, Rodrigo?

Em primeiro lugar, você não conseguiria acompanhar 10 FIIs ou empresas sem entender detalhadamente como tipo de ativo funciona.

Em segundo lugar, pelo simples fato de cada tipo de FII ou empresa funcionar através de um regulamento ou modelo de negócio diferente.

Isso significa que para entender esse cenário você vai precisar de tempo!

Passo 4: Aproveite as oportunidades que o mercado oferece!

Pode parecer uma frase óbvia, mas existem questões que fazem com que os investidores deixem de aproveitar essas oportunidades.

Uma das grandes travas para que os investidores aproveitem as oportunidades do mercado é o medo durante os períodos de crise.

Recentemente, com a pandemia de COVID-19, o mercado de renda variável sofreu bastante. Nesse período, alguns FIIs e ações tiveram seus preços muito descontados.

Por exemplo, em março de 2020, a cotação do Itaú (ITUB3) chegou a bater o preço de R$ 19,64, em comparação ao preço de R$ 31,48 de janeiro de 2020.

Caso o investidor tivesse comprado ITUB3 a R$ 19,64, ele se tornaria sócio de uma empresa muito sólida e consistente com um desconto de 37,6 % em relação a cotação de janeiro de 2020!

Ou seja, uma excelente oportunidade de compra de ações do Itaú (ITUB3).

No mesmo período, os FIIs de shopping sofreram quedas bruscas de cotações devido as notícias de que os shoppings seriam fechados por tempo indeterminado devido à pandemia.

Por consequência, os fluxos de rendimentos dos FIIs de shoppings sofreram uma queda significativa, porém temporária.

Por exemplo, o HGBS11, um dos fundos de shopping mais consistentes, teve uma queda de aproximadamente 41,7% em sua cotação (Figura 1).

E o que eu fiz durante esse período? Analisei o comportamento do mercado e comprei as goiabas!

Passo 5: Entenda que o processo leva tempo!

Para que o investidor iniciante entenda como montar uma carteira de investimentos eficiente é necessário que ele pense em usar o tempo a seu favor.

Então, esse processo não acontece do dia para a noite. O processo exige estudo, disciplina, aportes regulares e crescentes!

Em resumo, monte uma carteira de investimentos que seja um reflexo da sua estratégia como investidor.

Espero que essa postagem possa ajudar os investidores iniciantes!

Um abraço e até a próxima!

 

 

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Replies to “Como montar sua carteira de investimentos?”

O mercado de fundos de investimentos imobiliários está mudando? - Rodrigo Colombo

[…] você tem dúvidas sobre como montar uma carteira de investimentos, veja esse artigo do […]

Como ter uma renda extra? 5 dicas para aportar mais! - Rodrigo Colombo

[…] você tem dúvidas sobre carteira de investimentos, tem um artigo aqui no blog sobre […]