Uncategorized

Investir no exterior, quando e como começar?

Investir no exterior, quando e como começar?
Junte-se a mais de 45.000 pessoas

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Atualmente, muitas pessoas têm me perguntado durante as “lives do cafézinho” no Instagram sobre quando e como investir no exterior.

Vou deixar o link do meu perfil no Instagram, caso você queria começar a me seguir, certo?

Assim sendo, resolvi contar um pouco da minha história e como é a minha trajetória de investimentos no exterior.

Ao final desse artigo, também espero ajudá-los a responder a seguinte pergunta: quando e como começar a investir no exterior?

Então, Rodrigo, me fala um pouco da sua história de investimentos no exterior…

Embora, eu invista no mercado brasileiro de renda variável (fundos imobiliários e ações) há mais de dez anos, eu só comecei a investir no exterior recentemente (no ano de 2020).

Mas, por que eu demorei tanto para investir no exterior?

De fato, existem algumas razões que justificam essa “demora” em investir no exterior.

Em primeiro lugar, posso dizer que dentro da minha estratégia e da minha racionalidade nos períodos anteriores não fazia tanto sentido expor parte do meu patrimônio ao dólar e a uma economia muito mais complexa do que a economia brasileira.

Ou seja, isso não me traria tranquilidade para manter a mente focada!

Além disso, a minha análise racional dos ciclos econômicos anteriores não me deixava tão seguro para dar esse passo.

Em segundo lugar, pelo fato de anteriormente não ter um conhecimento tão aprofundado sobre os mercados de ETFs e REITs, e como esses investimentos no exterior funcionavam na prática.

Por último, outro fator que me limitava em relação aos investimentos no exterior era a falta de corretoras americanas que se dedicassem a olhar para os investidores brasileiros como potenciais clientes.

Ademais, lá atrás as taxas de corretagem cobradas para investir no exterior eram muito caras, o que era um fator que também me limitava quanto ao investimento no exterior.

Atualmente, existem algumas ótimas corretoras que permitem que os investidores brasileiros transfiram diretamente o dinheiro e façam a aquisição das ações de empresas internacionais, ETFs e REITs de forma fácil e ágil.

As corretoras como Avenue e Passfólio, são alguns dos exemplos de corretoras americanas em que é possível investir diretamente com ausência ou com a cobrança de pequenas taxas de corretagens.

Nesse vídeo do Youtube, eu falo um pouco sobre algumas das corretoras americanas, basta clicar aqui.

Quais as vantagens de investir no exterior?

Com toda a certeza, existem várias vantagens de se investir no exterior. Desse modo, irei listar algumas delas:

  • Diversificação de carteira de investimentos;
  • Investimento numa moeda mais forte (dólar);
  • Investimento em um mercado muito mais consolidado;
  • Possibilidade de investir em ETFs que pagam dividendos;
  • Possibilidade de investir nas maiores empresas do mundo;

Então, investir parte do seu patrimônio no exterior pode ser uma ótima opção para sua carteira de investimentos no longo prazo.

Quando começar a investir no exterior?

Antes de mais nada, preciso confessar uma coisa para vocês sobre a resposta para essa pergunta…

Então, um dos pontos que eu mudaria na minha trajetória como investidor seria o fato de eu ter começado a investir no exterior muito tarde!!

Ou seja, na minha visão atual como investidor, eu poderia ter iniciado esse processo muito antes!!

Sendo assim, eu penso que o recomendado seria começar a investir no exterior o quanto antes!!

Mas, sempre que falo sobre esse assunto nas lives, muitos investidores fazem uma outra pergunta bastante comum…

Vale a pena investir no exterior mesmo com o dólar em alta?

Da mesma forma que não faz sentido você comprar ações de uma empresa somente quando elas custarem um determinado valor, não faz sentido você investir no exterior somente quando o dólar estiver em baixa.

Em outras palavras, você não pode se tornar escravo das flutuações cambiais do mercado!!

Mesmo que o dólar estiver em alta naquele período, é provável que a bolsa americana esteja em baixa, o que vai permitir que você compre bons ativos com “preços descontados”.

Entendeu como funciona a lógica? Até porque é assim que o mercado de renda variável funciona!

Como começar a investir no exterior?

O primeiro passo para começar a investir no exterior é abrir uma conta numa corretora no exterior, assim como seria caso você quisesse investir no Brasil.

Como citado anteriormente, existem corretoras americanas como a Avenue e a Passfólio (Figura 1) que são dedicadas ao atendimento de investidores brasileiros. Inclusive, essas corretoras têm suporte e atendimento em português.

Página oficial da Passfolio
Figura 1: Página oficial da Passfólio.
Fonte: https://pt-br.passfolio.us/

A corretora Avenue cobra taxas de corretagem entre US$ 1,00 a US$ 8,60 para transações de ações, ETFs e REITs e a corretora Passfolio não cobra corretagem.

Posteriormente ao cadastro, você deverá enviar o valor em reais para a corretora através de um TED do seu banco para uma conta da corretora, exatamente como acontece para investir no Brasil.

O valor em reais que for depositado será convertido através de uma taxa de câmbio diária + algumas outras taxas que são cobradas pelas corretoras.

Logo após, o valor em dólar estará disponível para que possa ser investido no Homebroker da corretora.

Mas, o que fazer após o valor estar disponível na corretora?

Acima de tudo, você deve usar a mesma estratégia que usa para investir no mercado de renda variável brasileiro.

Então, o primeiro passo é estudar e entender como os ativos que você pretende investir funcionam!

Nesse caso, você tem duas opções principais: a primeira é investir em ETFs e a segunda é investir diretamente nas ações das empresas americanas.

A terceira opção que eu particularmente não recomendo nesse caso é seguir uma casa de análise, pois as casas de análises brasileiras dificilmente abordam investimentos internacionais.

Se você tem dúvidas sobre casas de análises, tem um post aqui no blog que pode ajudar.

Como entrei recentemente no mercado internacional, tenho optado por investir em ETFs, pois os ETFs funcionam como índices de empresas ou fundos imobiliários.

Para saber mais informações sobre os ETFs eu uso esse site, mostrado na figura 2.

Site para consulta de informações sobre ETFs
Figura 2: Site para consulta de informações sobre ETFs.
Fonte: http://etfdb.com

Para concluir…

Esse artigo mostrou um pouco da minha visão sobre investir no exterior!

Espero ter sanado as dúvidas iniciais de vocês!!

Você pensa em investir lá fora? Já investe no exterior?

Até a próxima!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Replies to “Investir no exterior, quando e como começar?”

MARCELO AZEVEDO DUARTE

Muito bom o conteúdo, esclarecedor e bem apresentado.

Rodrigo Colombo

Muito obrigado pelas palavras, TMJ!