O que são derivativos? Por que e como investir?

Eu quero te mandar alguns Ebooks de Graça, deixe o seu Email.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Pinterest

A ascensão da corretora online desde a virada dos anos 2000 favoreceu o acesso individual aos derivativos. Entretanto, muitos investidores não sabem o que são derivativos.

Basta uma conta em uma corretora online para comprar ou vender, em apenas alguns cliques, do seu telefone ou computador, uma infinidade de produtos derivados.

Entretanto, tenha cuidado, entretanto, se eles são mais fáceis de acessar, os produtos derivados continuam sendo instrumentos financeiros complexos e difíceis de entender. No entanto, podem representar uma oportunidade real para o investidor que saberá controlá-los.

Descubra neste artigo o que é um produto derivado, para que tipo de investimento o determinado investidor terá interesse em utilizar este tipo de produto financeiro, como utilizá-lo, quais as vantagens e riscos inerentes a este tipo de produto. Finalmente, encontre vários exemplos de produtos derivados.

O QUE É UM PRODUTO DERIVADO?

Por definição, derivativos são instrumentos financeiros baseados em um subjacente. Assim, o seu valor está associado à evolução do preço do subjacente. Isso pode ser muito variado e várias classes de ativos são possíveis.

Desse modo, o subjacente pode ser, na verdade, uma ação ou uma cesta de títulos, ou mesmo um índice do mercado de ações, mas também uma mercadoria, um título, etc.

Os derivativos são negociados em mercados organizados ou no mercado de balcão. Na verdade, eles podem ser listados em uma bolsa de valores (podemos falar de produtos do mercado de ações, como turbos, warrants, etc.) ou ser objeto de um contrato entre as duas partes no mercado de balcão.

Os derivados permitem-lhe posicionar-se num ativo financeiro, sem necessariamente o possuir, e com a possibilidade de beneficiar de um efeito de alavancagem potencialmente elevado. Assim, os produtos derivados possibilitam a posição em ativos por um valor superior ao inicialmente investido.

POR QUE USAR DERIVATIVOS PARA SEUS INVESTIMENTOS?

Existem três cenários principais que podem levar um investidor a usar derivativos.

O investidor pode usar um produto derivado para fins de hedge. Ele permite que um investidor que antecipa a queda no preço de um subjacente proteja sua carteira. O derivado aumenta se o preço do objeto cair. O decréscimo registado pela carteira é assim compensado pela evolução positiva do produto derivado.

O investidor também pode usar um derivado para uma perspectiva de negociação. Na verdade, graças ao efeito de alavanca, as perspectivas de ganho (mas também de perdas) aumentam. O investidor poderá, portanto, posicionar-se em um ativo com um valor mínimo (inferior ao que seria mobilizado em caso de compra direta) e os lucros (ou perdas) potencialmente aumentados em dez vezes.

Por fim, e este é sem dúvida o motivo menos comum e mais técnico: o investidor privado também pode optar por investir em derivados com vista à arbitragem e, assim, comprar um produto derivado no mercado e revendê-lo por outro, aproveitando as diferenças de câmbio ou de avaliação.

COMO USAR DERIVATIVOS NO MERCADO DE AÇÕES?

Como vimos, os produtos derivados tornam possível investir em muitos mercados financeiros graças à variedade de seus ativos subjacentes. A maioria permite que você invista em um mercado regulamentado e controlado. Estes são, então, produtos do mercado de ações.

Para abrir uma posição, você precisará fazer uma ordem de compra. Para fechá-lo, você precisará fazer um pedido de venda.

Ordem do mercado de ações: as diferentes ordens a saber para começar no mercado de ações

Grande parte dos produtos derivados tem um prazo: você pode encerrar sua posição a qualquer momento, assim que for aberta e até que o nível de knock-out possível seja atingido. O nível de knockout é um limite predefinido no preço do ativo que resulta no fechamento do derivativo.

Dessa maneira, se você previu uma alta, este nível de knock-out será inferior ao preço correspondente à abertura da posição. Se você previu uma queda, este nível de eliminação será superior ao preço correspondente à abertura da posição.

Observe que a oferta de produtos derivados é mais ou menos extensa dependendo do corretor. Se você deseja investir no mercado de ações em produtos derivados, verifique bem antes de assinar com uma corretora se ela tem o tipo de produto derivado que lhe interessa (turbos, opções, garantias, futuros, etc.) com sub-condos nos quais deseja investir (petróleo, índices setoriais, Nasdaq, por exemplo).

BENEFÍCIOS E RISCOS DE UM PRODUTO DERIVADO

Os derivados, devido à variedade de subjacentes possíveis, permitem posicionar-se num grande número de mercados financeiros (ações, obrigações, mercadorias, etc.). Os derivativos listados são facilmente acessíveis, em particular graças ao surgimento da corretora online. É possível depositá-los em uma conta de títulos.

Por definição, derivativos listados são ativos líquidos que se beneficiam de uma listagem estendida, que pode ir até 22 horas. Os Turbos 24 oferecem ainda exposição contínua aos mercados com negociação 24 horas 24 horas para aproveitar todas as oportunidades que surgem. Os derivados permitem construir cenários de investimento, em alta ou em baixa, com vista à negociação ou proteção da carteira.

O efeito de alavancagem que muitas vezes lhes está associado, uma ferramenta de dois gumes, permite multiplicar os ganhos possíveis (mas também as perdas). Eles carregam o risco de perda de capital. Seu funcionamento, nem sempre fácil de entender, torna-o um investimento arriscado.

Dessa forma, as perdas podem ser maiores que o capital inicialmente investido, tornando-o um instrumento financeiro a ser utilizado por traders experientes que já possuem alguma experiência nos mercados financeiros e um excelente conhecimento de ativos negociados, bem como de negociação em geral (conhecimento de análise fundamental e técnica, conhecimento de diferentes tipos de ordens do mercado de ações, fundamentos da psicologia do trader, etc.).

Assim, você também terá de estar familiarizado com o subjacente negociado e apenas assumir uma posição com um cenário de investimento claro e preciso,

EXEMPLOS DE PRODUTOS DERIVADOS: TURBO, BARREIRAS E OPÇÕES

Existem muitos, muitos produtos derivados. Entre os mais difundidos, podemos citar turbos,  opcionais ou produtos de barreira.

Os turbos são derivativos alavancados em bolsa negociada que antecipam para cima ou para baixo no curso subjacente. Eles oferecem ao investidor a possibilidade de vender um ativo a um preço determinado antecipadamente (denominado strike) durante um período definido, até uma data de corte conhecida como data de vencimento ou vencimento.

Sendo assim, na maioria das vezes, incluem uma “barreira desativadora”, definida na emissão pelo emissor, que fecha automaticamente o produto assim que o preço do ativo subjacente atinge ou cruza essa barreira, resultando na perda total do produto investimento inicial.

Os produtos de barreira são derivados listados tipo opcional de troca envolvendo knock-out localizado abaixo do preço de mercado no momento da compra em caso de aumento antecipado, e localizado acima do mercado atual no momento da compra, em caso de antecipação para baixo.

As opções são derivados que dão ao investidor a possibilidade (não a obrigação) de comprar ou vender um ativo subjacente, a partir da posição e até uma data previamente definida em qual opção expira. Esse tipo de produto permite ao investidor negociar com o valor futuro de um mercado financeiro.

Um forte abraço,

Rodrigo Colombo.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Pinterest

Últimos artigos

Artigos Passados

Que tal dar um gás no seu Aprendizado?

Faça algum dos nossos cursos e aprenda mais rápido e melhor!