VINO11 – A Compra do Prédio da Globo

Eu quero te mandar alguns Ebooks de Graça, deixe o seu Email.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Pinterest

No dia 17 de dezembro o VINO11 anunciou a compra da SEDE da Globo em uma operação de SLB, e isso gerou um desconforto aos investidores do fundo.

Em um primeiro momento eu achei que fosse apenas preconceito e aquela baboseira de que a Globo está falindo, mas de tanto me perguntarem eu decidi ler o fato relevante sobre o movimento.

Em um primeiro momento não tenho muito o que falar sobre o imóvel em si, afinal é um prédio icônico em uma região de valor “emocional” muito alto, os jornais regionais da Globo são transmitidos desse prédio com o pano de fundo da Ponte Estaiada, o prédio fica na Chucri Zaidan, bem ao lado da ponte e das marginais.

Mas então o que tem de errado na COMPRA do VINO11?

Alguns pontos podem ser colocados como problemáticos, pontos como:

  • Alavancagem para a compra;
  • Grande exposição ao inquilino GLOBO dentro do fundo;
  • Necessidade de uma emissão para inteirar o valor da compra;

compra vino11

Talvez esse tenha sido o principal ponto para os cotistas desgostarem do movimento do fundo, afinal o valor total da aquisição é de R$522 milhões, com CAP de 7,6% e com a necessidade de movimentações externas para finalizar a compra.

35% do valor da compra viria de uma nova emissão do fundo, o que nesse momento seria um problema.

Problema porque mesmo anunciando que o valor da emissão está em linha com o VP do fundo, quem vai arcar com os custos da emissão será o próprio fundo, ou seja, todos os cotistas pagam, participando ou não da emissão.

E é claro, descontando o custo da emissão, temos uma emissão abaixo do VP ou simplesmente maquiada para que não fosse anunciada dessa forma.

Os outros 65% viriam de um CRI, uma ferramenta financeira para comprar sem precisar de dinheiro hoje, criando uma espécie de financiamento.

O que dificulta ainda mais o caso:

  • Uma emissão não sendo tão boa;
  • CAP modesto;
  • Compra sem dinheiro;

Mesmo não sendo a melhor emissão, também não é tão ruim, acabou saindo bem em linha das que a VINCI já fez.

Pra mim, talvez o maior problema seria a grande exposição à Globo, sendo que o fundo terá quase 40% da Empresa ao final do processo.

Não é problema gigante, e nem tão grande para que tanta gente comentasse ou se preocupasse.

Pra mim, a VINCI só fez o que costuma fazer em todos os fundos da casa, uma gestão extremamente ativa que faz de tudo para tentar pegar o melhor momento dos negócios que entra.

Se isso é bom eu não sei.

Não tenho fundos da VINCI e também não tenho fundos de lajes puros como o VINO11.

Vida que segue e só mais uma tempestade da galera.

Já vimos coisas piores por ai.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Pinterest

Últimos artigos

Artigos Passados

Que tal dar um gás no seu Aprendizado?

Faça algum dos nossos cursos e aprenda mais rápido e melhor!